Pão rústico com semente de jaca

Ainda no intento de utilizarmos ao máximo os vegetais que compramos, outra parte de uma fruta solenemente ignorada e sistematicamente descartada é a semente da jaca. Sabemos que a jaca não é uma fruta amada em consonância por todos. O Chutney de Jaca é uma forma de apresentação da fruta que diminui muito seu aroma tão característico: mesmo as pessoas que não morrem de amor por ela e que experimentam o Chutney gostam muito, e depois de avisados só com muita cara de pau pra mudar de opinião.
Já a semente da jaca não traz o aroma intenso tão característico da fruta. Ele é fonte de fibras, vitaminas (A, B1, B2, B3, B5, B6 e C) , minerais, cálcio, iodo, fósforo, ferro, cobre e potássio, amidos de cadeia longa (carboidratos de longa digestão) além de diversos fitonutrientes, ou seja, ideal para enriquecer o potencial nutricional do pão, e aproveitar para diminuir a quantidade de farinha de trigo, o que muitas vezes é o objetivo das receitas de pão alternativas.

Outras alternativas divertidas para a jaca são estas deliciosas receitas de jaca Louca e moqueca da Neide Rigo, feitas a partir da jaca verde.

Ingredientes

400g semente de jaca (já cozida por 30 minutos)

300ml água

300g farinha branca

300g farinha integral

200g fermento levain reformado

25g sal

300g farinha de milho ou fubá para polvilhar (opcional)

Modo de preparo

Preparo da semente da jaca

Após a limpeza da jaca, separar apenas as sementes e ferver com água suficiente para cobri-las,  por 30 minutos. Após ferver, descartar a água da fervura, adicionar os 300 ml de água e bater no liquidificador até obter uma mistura homogênea. Reserve.

Preparo da massa

Misturar as farinhas, o levain, água e as sementes de jaca batidas. Sove por 5 minutos.

Adicione o sal e sove por mais 5 minutos.

Modele já no formato em que irá assar e acomode a massa em uma tigela ou panini. Polvilhe farinha de milho (ou outra de sua preferência) em cima e cubra com um pano de prato.

Coloque a tigela em um lugar em que não bata vento e deixe crescer. Por ser um pão rústico e com fermento natural, o crescimento pode variar de 1 a 4 horas, dependendo da força do levain e da temperatura ambiente.

Opcionalmente nós fizemos a fermentação a frio, ou seja, deixando a massa crescer por 10 horas na geladeira (de um dia para o outro). Isso torna o sabor do pão um pouco mais azedo, porque o levain vai ter mais tempo para produzir ácido acético.

Você pode assar o pão em uma forma ou dentro de uma panela, para ter o resultado semelhante ao da foto.

Assar na panela

20 minutos antes de assar o pão, ligue o forno a 250 graus e coloque dentro uma panela (vazia e tampada) grande, alta, que tenha espaço suficiente para o pão crescer. Preste bem a atenção para escolher uma panela que não tenha nenhuma das suas partes de plástico (cabos ou tampas).

Após 20 minutos, retire a panela com cuidado, abra e polvilhe todo o fundo com farinha de milho ou fubá. Isso fará com que o pão não grude.

Com cuidado, sem amassar e ou apertar a massa, coloque-a na panela quente, borrife água em cima da massa, feche a panela e devolva ao forno.

Assar na forma

Aqueça o forno por 20 minutos a 250 graus.

Com cuidado, sem amassar e apertar a massa, transfira o pão do recipiente para a forma. Lembre-se que o pão ainda crescerá, escolha uma forma grande.

Borrife água em cima da massa e coloque a forma no forno.

Assando…

Após 10 minutos assando no forno a 250 graus, baixe a temperatura para 210 graus e deixar mais 35 minutos, quando então você já pode abrir para ver se ele está bonito.

Caso pareça assado (com casca mais dura e corado), retire da panela ou forma e bata no fundo: se ele fizer um barulho de oco, está no ponto para tirar do forno e secar. Se não estiver, volte por mais um tempinho até o barulho ficar de oco.

Quando estiver pronto, é importante deixar o pão secar em cima de uma grelha por 10 minutos, pode até ser na grelha do fogão. Está pronto!!

4 comment on “Pão rústico com semente de jaca”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Companhia dos Fermentados | Resgatando a cultura da fermentação